quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Bilhete Postal da CUF



Datado de 3 de Dezembro de 1943, este bilhete postal informava que a encomenda de encerado que Casa Agrícola de Penha Garcia efectuou à CUF, tinha chegado à Fábrica das Fontainhas, situada em Alcântara. É visível a extensa rede de depósitos que a Companhia possuía nessa época um pouco por todo o país, bem como os principais produtos produzidos. Este postal encontra-se assinado por um secretário da empresa. Mas o que seria o Encerado 1813? Deixou-me curioso, hei de investigar mais sobre o assunto. É um documento deveras interessante de uma época em que o telefone ainda não se tinha banalizado como nos dias de hoje, sendo o correio a forma mais eficaz de chegar junto dos seus clientes.

4 comentários:

Carlos Caria disse...

Provavelmente um encerado, que foi enviado ao cliente a tapar carga que lhe foi enviada, e como o material ( encerados ou encapados),tinham marca de fábrica e eram numerados, para efeitos de controle - havia que o retornar à fabrica - pois se não pagava a chamada taxa de vasilhame, neste caso a retenção do encerado.
Espero que tenha ajudado.
Uma das importantes casas de encerados de Lisboa é a Empreza de Encerados e Oleados, fundada e, 1918, e que ainda hoje existe em Lisboa na Calçada das Lajes, embora já em instalações novas, mas onde se podem ainda ver as ruinas das antigas.
Abraço
Carlos Caria

João Celorico disse...

Penso que a Fábrica das Fontaínhas, não era onde hoje é o Consulado de Angola mas sim, defronte. Aí, era a Fábrica "União", de sabões e óleos.
Nas Fontaínhas, como eram conhecidas, estavam o Posto Médico e a Cantina, mais propriamente armazéns onde eram adquiridos pelos trabalhadores das várias empresas do grupo CUF,géneros alimentícios e suponho que também tecidos, pelo menos. Na década de 60, o Posto Médico da Caixa de Previdência do Pessoal da CUF e Empresas Associadas mudou-se para a Av. 24 de Julho, julgo nº 126 e a área das Fontainhas foi ocupada pela 1ª loja do "Pão de Açucar".

Cumprimentos,
João Celorico

Ricardo Ferreira disse...

Caro João tem toda a razão! Muito obrigado pela sua correcção. Foi lapso meu, peço desculpa. Obrigado pelo seu testemunho estou sempre a aprender. De facto sabia que ali por volta de 1970/71 tinha sido erguido um supermercado Pão de Açucar (tambem ele do Grupo CUF) Contudo desconhecia que o Posto Médico tivesse sido aí, pois ate há data infelizmente nunca apanhei nem informações nem imagens do posto médico. Seria interessante arranjar imagens quer do Posto Medico quer da Dispensa, mas isso será uma tarefa difícil. Quando o Posto Médico muda para a Av 24 de Julho fica num edifício com colunas e meio acastanhado não é? Ali junto ao Jardim em frente da Rocha Conde de Óbidos? Mais uma vez obrigado.

Cumprimentos
Ricardo Ferreira

João Celorico disse...

Caro Ricardo,
Uma pequena correcção quando diz “estou" sempre a aprender. Eu diria “estamos"! E, muito provavelmente, também vamos escrevendo algumas incorrecções. Isto porque na ligeireza com que fiz o meu comentário talvez tenha falhado alguma coisa. Será que, à Fábrica União, o vulgo não chamaria Fábrica das Fontaínhas? O motivo que me levou a não considerar isso foi que o tal encerado era um produto, provavelmente duma fábrica têxtil o que não me pareceu ser a “União”. Talvez fosse realmente defronte, a que chamariam Fábrica das Fontaínhas, onde se fabricaria alguma coisa e onde também se poderia fazer o armazenamento e distribuição de produtos de outras fábricas. Daí a ser a “Dispensa”, terá sido um passo. Mas, isto, são meras suposições.
Enquanto a Dispensa ocupava todo o piso inferior, com loja e armazéns, o Posto Médico ocupava o piso superior. O acesso, se bem me recordo era feito por uma escadaria em ferro. Tinha várias especialidade, entre elas Oftalmologia e Dentista. É de crer que também tivesse Clinica Geral. Digo é de crer porque julgo que todas as empresas do grupo tinham o seu Posto Médico com enfermeiro e médico de Clinica Geral. O Estaleiro Naval tinha-o e na Fábrica União, no que foi a esquina da rua Fradesso da Silveira com a, agora, Avenida de Ceuta, foi demolida uma parcela do edifício onde, no 1º andar, existia um consultório. Curioso, ou nem por isso, será o facto do Hospital da Cuf se localizar num local de perfeita e rápida acessibilidade às várias empresas do grupo situadas na área (Estaleiro, “União”, Fontaínhas, “Sol”).
O posto da Caixa de Previdência do Pessoal da CUF e Empresas Associadas foi, como diz, nesse edifício que faz parte dum bloco de vários edifícios, construído no prolongamento do que foram as instalações da Fábrica de Massas Alimentícias “Nacional”, mais uma das muitas fábricas da Av. 24 de Julho, de saudosa memória!

Cumprimentos,

João Celorico