sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Visita á Colónia de Férias da CUF (Parte I)

Caros amigos e leitores, antes demais quero desejar a todos vocês, um excelente ano de 2012. Vamos ver até onde nos leva esta enorme crise (que diga-se de passagem tem sido uma constante da vida de Portugal nas ultimas décadas). Peço desculpa a todos pelo meu silencio mas a minha vida profissional tem sido intensa, de modo que nem sempre consigo aqui postar com a regularidade com que desejo.

Como é certamente do vosso conhecimento, no passadio dia 1 de Dezembro, um grupo de ex-colonos da antiga Colónia de Férias da CUF, juntou mãos à obra, e organizou um excelente e memorável evento, que durou praticamente todo o dia. É isso mesmo que aqui vos vou relatar em jeito de reportagem fotográfica. Para aqueles que não puderam estar presentes, é também uma forma de "viajar" até essa Colónia que marcou parte das suas vidas, e que tantas recordações deixou a essas pessoas.

Antes demais queria agradecer nas pessoas da Diana Colaço, Maria José Santos, Carlos Beja e Ana Ortiz (perdoem-me se me esqueço de mais algum nome) a excelente e louvável iniciativa que tiveram em "abrir" de novo os portões da antiga Colónia de Férias. Sei que foi muita a canseira e luta para lá chegar, mas penso que valeu bem apena  todo o esforço. A recompensa de visitar aquele espaço, recordar, memórias, histórias, cheiros, foi absolutamente memorável para muitas das pessoas que ali estiveram presentes.

A manhã começou cedo para todos os ex-colonos, acompanhantes e curiosos. No Barreiro junto à antiga creche da CUF o toque de alvorada foi ás 7:30 da manhã, hora em que o autocarro partia rumo a Almoçageme fazendo ainda uma paragem na zona do Calvário, para recolher mais pessoas. Eu estando um pouco mais perto de Sintra, peguei no meu carrinho e lá fui eu rumo à aventura. Chegado ao ponto de encontro, frente ao restaurante "A Toca do Júlio" ali aguardei pelas 9:30 hora prevista para a chegada dos autocarros. Seriam cerca das 10 e pouco quando eles chegaram. Começava a verdadeira festa entre cumprimentos e saudações, risos, e reencontros de pessoas que há anos não se viam. Antes de partirmos rumo à Colónia, fomos buscar, o nosso cartão identificativo, e as respectivas camisolas do encontro (baseadas nas cores usadas na Colónia: verde, azul, encarnado, amarelo e castanho).



Era agora a vez da curta caminhada até a antiga Colónia de Férias da CUF. Lá fomos estrada fora, em alegre convivo, perante o espanto de muitos automobilistas e residentes da zona. O dia que começou com cara feia até ajudou, presenteando-nos com um sol morno.



Após uma caminhada que deverá ter durado cerca de 15 minutos, chegamos, a antigo Portão da Colónia de Férias da CUF. O tão aguardado momento chegou com a abertura desses portões, sendo transpostos para um mundo de sonhos e memórias passadas de tempos felizes, na qual a vida corria devagar.



Depois de passar o portão esta era a panorâmica com que nos deparávamos, á esquerda, os pavilhões dos colonos, ao centro o velhinho depósito de água (onde noutros tempos chegou a ter escrito: C.U.F. - Colónia de Férias) e por fim à direita o antigo Posto Médico e um alpendre




Era agora tempo de entrar nos edificios dos dormitórios dos colonos. Passando a grande arcada, dava-se acesso a uma porta que dá directamente para o dormitório propriamente dito, estava esta dividido em dois dormitórios comportando cada um cerca de 30 camas, quarto dos monitores, duas zonas de lavatórios, duas casas de banho e dois polibans. Existiam um total de 5 edificios com esta tipologia.

Dormitórios

Zona dos Lavatórios


Casa de Banho




Poliban

Por ser uma reportagem fotográfica longa decidi dividir este "post" em duas partes, de forma a não cansar o leitor.

3 comentários:

Júlia disse...

S0u Julia Patrício,nome de solteira Júlia Rijo.Fui monitora dessa linda Colónia de Férias.Numca irei esqueçer aquele lugar e aquelas crianças das quais perdi o rasto.Recordo as Tias...a D.Ema e a D.Felícia e já agora o se nhor Veríssimo,o senhor Lourenço,já agora as lindas flores,com as quais enfeitava os cabelos.Estive la em 1967,68,68.Fiz parte das monitoras,que ia dar um beijo de boa noite aos meus meninos Tenho algumas fotos que posso partilhar,já agora a minha cor era o vermelho e o castanho.Tam bem os fui levar ao Porto por duas vezes.Era uma festa, mas a despedida dolorosa... Sera que alguem se lembra de mim? Cumprimentos,até breve Júlia Rijo.

Luana disse...

Que saudades desses tempos, sou desses anos,lembro me perfeitamente D.Ema, da D.Felícia, do Sr.Veríssimo e filho Fernandinho...A minha cor foi sempre a verde. Aqueles 365 degraus subidos e descidos. As saragatoas que o Sr.Veríssimo me fazia no seu gabinete médico, as nossas peças de teatro, as gincanas, o nosso alpendre de trabalhos manuais..enfim..um tempo que já não volta e de que tenho muitas saudades...beijinhos, Maria Rosa

carloss henriques disse...

Ola saude a todos pois a mim me deuuita alegria ver esta reportagem pois eu um dos colonos por muitos anos e recordo com muita saudade as noites que davam sine as idas a pe para a praia baixando esas escadas ate a praia grande e muitas coisas da minha juventude que nao volta mais, eu vivo em porto rico as mais de trimta e sinco anos e sap coisas que nao esquece ja mais