domingo, 29 de julho de 2007

Hipermercados, uma inovação da Sonae? Ou do Grupo CUF?

Hoje em dia muito portugueses com certeza pensarão que quem trouxe a inovação dos Hipermercados para Portugal foi a Sonae de Belmiro de Azevedo. Pois estão redondamente enganados! Lembram-se da marca Pão de Açúcar? Pois bem, essa marca surgiu entre nós em 1970 pelas mãos do Grupo C.U.F. Tudo começou em Novembro de 1969 quando foi constituída a S.U.P.A. – Companhia Portuguesa de Supermercados, uma associação entre o Grupo Ipiranga (Brasil) e o Grupo C.U.F. Entrando assim o Grupo neste novo sector.

A chegada dos Super e Hipermercados ao Espaço Português veio revolucionar em muito o sector comercial, procurando baixar ao mínimo os gastos directos de venda, espalhando os encargos de estrutura por um elevado volume de facturação que permitia baixar margens de lucro bruto. A acelerada rotação de stocks e o aproveitamento máximo das áreas de venda assim como a multiplicidade de artigos a vender.

Devido ao seu sucesso comercial, assistiu-se em pouco tempo a uma enorme explosão da cadeia Pão de Açúcar. Do primeiro supermercado, situado na Av. Dos E.U.A. em Lisboa em 1970, foram-se espalhando superfícies comerciais por toda a área metropolitana de Lisboa (Almada, Setúbal, Barreiro, Oeiras etc). Em Outubro de 1972 na Venda Nova Amadora, e em Almada surgiram os primeiros Hipermercados portugueses, seguindo-se-lhe o de Cascais em Setembro de 1973. No final desse ano só em Lisboa, a cadeia Pão de Açúcar dispunha já de 9 supermercados (R. António Patrício, Av. de Ceuta, Av. 5 de Outubro, R. Conde Sabugosa, R. José Ricardo, R. Cidade de Bissau, Calçada de Carriche e R. de S. Bento). Estando previsto para 1974 a abertura de mais seis lojas (Parede, V. N. de Gaia, Porto, Coimbra, e arredores de Lisboa). Á data havia ainda projectos para a internacionalização da marca, passando por Madrid e possivelmente Londres.

No Ultramar Português, com a ideia de montar um hipermercado em Luanda, a S.U.P.A. funda uma nova sociedade a Africados – África Supermercados S.A.R.L. Luanda á época era a 2ª maior cidade do mundo em crescimento, a primeira era São Paulo, e o Grupo C.U.F. não quis perder a oportunidade de estar presente num mercado em franco desenvolvimento. Assim em 1973 inaugurou-se o Jumbo de Luanda com uma área de 13.000 m2, que muito assustou os comerciantes e retalhistas de Luanda que tudo fizeram para impedir a concessão de licenças de importação deste novo empreendimento.

Por ultimo para se verificar o enorme sucesso que teve a cadeia Pão de Açúcar deixo alguns números da sua exploração:

- 80 mil contos em vendas em 1970

- 400 mil contos em vendas em 1971

- 900 mil contos em vendas em 1972

- Mais de 1 milhão e meio em 1973


Fontes:
- Revista "Tempo Económico", Janeiro de 1974

7 comentários:

David Garcia disse...

E assim nasceram os hiper-mercados em Portugal. Das mãos de uma grande Companhia Nacional. Aqui entre nós, se calhar hoje em dia a Sonae não era nada ao lado da CUF. Mas talvez o meu amigo Ricardo me saiba responder.

Saudações.

Ricardo Ferreira disse...

Meu caro amigo David. Apesar de não se puder comprar dois grandes grupos económicos de fases epocas diferentes em Portugal. Creio que o que foi o Grupo CUF o poder e a sua multiplicidade, e dinamismo, e mesmo inovação em multiplas areas trazida por esta grande empresa, o Grupo CUF a meu ver será sempre o maior Grupo tanto industrial como financeiro que Portugal já conheceu. Atenção não tiro os méritos a Sonae, que hj é um dos maiores grupos internacionais no sector dos laminados de madeira, é um facto constatado, contudo, se a tranjectória do Grupo CUF tivesse sido diferente, peranto os tumultos sociais da revoluçao dos Cravos, concerteza que o Grupo CUF seria hj uma prestigiada multinacional presente nos maiores, mais importantes e decisivos sectores comerciais da actualidade, pois em 25 de Abril de 1974, era sem duida um grupo preparado para o futuro e com condiçoes tecnicas que lhe permitiam competir em qualquer mercado, alias isso viu-se claramente no empreendimento da Lisnave, essa empresa em 1969 detinha 39% da reparaçao mundial de navios ate 300 mil tonleadas. Creio que hoje neste país, faz falta em muitas empresas precisamente o chamado Espirito CUF

David Garcia disse...

Meu amigo Ricardo, de facto é muito dificil fazer comparações.

Mas calhar hoje como estão nas modas as OPAs às tantas hoje a CUF fazia uma OPA à Sonae ;) Era brutal!

Anônimo disse...

Ricardo,

Relativamente ao Pingo Doce vs. Minipreço, qual deles surge primeiro e pela mão de quem?

Ricardo Ferreira disse...

Aí está uma óptima pergunta, á qual vou tentar responder. Se pensarmos que o Pingo Doce tem os seus auspícios assentes na afamada Casa Jerónimo Martins, temos de recuar até ao século XIX. Sobre o Minipreço ainda não me debrucei sobre essa empresa.

Anônimo disse...

aqui os comentários tem latitude! Não acham que vos fica mal tanta fé?

Ricardo Ferreira disse...

Talves se se explicar melhor, poderemos debater essa tal "fé".